Como sua hospedagem de site afeta a performance de SEO

hospedagem de site
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Sumário

Hospedagem de site? Faz diferença? Muitas vezes escutamos sobre SEO e dicas para como melhorar o posicionamento de sites, blogs e lojas virtuais nos principais mecanismos de pesquisa. Configurar corretamente meta tags, bom uso de palavras-chave, ter uma boa linkagem interna, interfaces adaptadas para dispositivos móveis e um baixo tempo de carregamento são algumas dessas estratégias de SEO para aumentar a quantidade de acessos de páginas web.

Com o uso de ferramentas, é possível identificar quais plugins comprometem o volume de acessos ao site, melhorar a qualidade das imagens e tornar o  CSS responsivo, para que ela possa reorganizar o design da página de acordo com o tamanho da tela do usuário. Ao investir nesses pontos, os mecanismos de busca passam a classificar melhor o site, colocando ele à frente dos endereços concorrentes.

Bom, mas o que quase ninguém te conta é que: palavras-chave, imagens, meta data e tags não são mais a única forma de melhorar o page rank de um site. Você sabia que o local onde seu site está hospedado interfere no ranqueamento do seu site?

Existem dois tipos de otimização SEO: as feitas em conteúdos e navegabilidade, feitas pelo pessoal do marketing de conteúdo e design, e aquelas que são feitas por meio de códigos que compõem a estrutura da página, como correta instalação de tags, sitemap, entre outras, de ordem mais técnica. O impacto da hospedagem de site sobre o rankeamento do seu site ou página está neste segundo grupo. Fique comigo neste post para entender melhor como um servidor pode afetar e até levar por água abaixo, todo seu esforço de SEO.

Bom, você investiu em detalhes importantes para o seu site como:  design responsivo, marketing de conteúdo, estudo de palavras-chave, etc e ainda sim está tendo dificuldades de aumentar seu PageRank? Provavelmente as atividades do seu host estão te impedindo de ter sucesso nos mecanismos de busca. Apesar de a hospedagem não ser uma estratégia de SEO, propriamente dita, ela é a base do funcionamento do seu site para que os seus esforços de SEO sejam vistos e interpretados. Aqui vão os principais itens relacionados a sua hospedagem que afetam seu ranking:

Performance e Desempenho

Esses pontos são responsáveis pela velocidade do site. De acordo com o levantamento da Kiss Metrics, 40% dos usuários abandonam um site que demora mais de 3 segundos para carregar. Por isso, é de extrema importância que seu pagespeed seja otimizado. O desempenho está diretamente ligado a capacidade de processamento do servidor, a quantidade de Memória RAM, CPU, rede de distribuição de conteúdo (CDN) e tamanho das imagens.

Tempo de disponibilidade

Até os crawlers, bots dos mecanismos de busca, perdem a paciência de esperar um site carregar ou com quedas. Eles são ávidos em relação a sites que apresentam períodos de downtime. É comum um site perder posicionamento após uma queda. Agora, caso o seu site enfrente quedas constantes, você está sempre um passo atrás dos concorrentes.  

Endereço de IP compartilhado

Esse ponto aqui é exclusivo para a hospedagem compartilhada; Se a vizinhança do seu site, aqueles outros sites de dividem o servidor com você,  for spammer ou de baixa qualidade, isso impactará no seu ranqueamento, já que o mecanismo de busca pode interpretar seu site como mal visto por falta de confiança e pouca credibilidade.

Segurança

Boas práticas de segurança podem fazer a diferença no carregamento dos sites, porque, previne que os recursos dos sites sejam utilizados por terceiros. Vulnerabilidade e riscos de invasão, por hackers e malwares, podem trazer lentidão, instabilidade e, até mesmo, derrubar o site.

Tipos de Hospedagem e como elas afetam o SEO

Você deve estar se perguntando: mas então qual é a melhor tipo de hospedagem para meu site se destacar nos mecanismos de busca? Cabe avaliar, então, quais as opções e como elas impactam o desempenho dos itens acima. No mercado, existem algumas opções de hospedagem de site: hospedagem compartilhada, VPS e hospedagem em nuvem (cloud).

Hospedagem compartilhada

A hospedagem compartilhada surgiu em meados dos anos 90 e é o serviço de hospedagem de sites mais utilizado no mundo devido ao seu baixo custo e a sua relativa facilidade de configuração. Falando assim, parece um ótimo negócio, não?

Este tipo de hospedagem só é indicado para sites e blogs pequenos a médios e/ou com tráfego baixo a moderado e que não estejam tão preocupados assim com performance para motores de busca.

O servidor físico é compartilhado por diversos usuários. Ou seja, o seu site fica no mesmo computador e compartilha o mesmo IP, recursos, memória, etc. com outros sites, sejam eles com boa ou má reputação, com conteúdo relevante ou não – você não tem nenhum controle sobre isso.

O problema de ter o seu site nesse tipo de hospedagem é que, quanto mais sites no mesmo servidor, mais problemas todos eles têm: Se um site é invadido, o seu site fica vulnerável; Se um site tem um pico de acesso, o seu site fica lento; Se um site envia spam, os seus e-mails também irão parar na caixa de spam.

Hospedagens compartilhadas eram ideais quando os sites eram estáticos, como nos anos 90. Com a evolução da internet, os sites se tornaram dinâmicos e hoje as hospedagens compartilhadas não são mais o tipo ideal de hospedagem de site para atender a um mundo online mais complexo. Esta forma de hospedagem gera instabilidade, baixo desempenho e falhas de segurança. E ter um site instável, lento e inseguro na era digital é uma barreira gigantesca para prosperar seu negócio.

VPS

A sigla VPS quer dizer Virtual Private Server ou Servidor Virtual Privado. Em outras palavras, uma VPS é um servidor dedicado dividido em várias partes, onde cada uma dessas partes atua como um servidor individual. Na prática, é uma única máquina rodando diversas aplicações web, como sites e softwares, mas que conta com espaços exclusivos para usuários.

O VPS é uma boa solução para quem necessita de mais memória e processador, por exemplo, além do que uma solução compartilhada ofereceria.  Não existe troca de dados entre clientes hospedados no mesmo servidor, já que os arquivos são mantidos separados. Se necessário, um servidor VPS pode ser reinicializado sem afetar os outros servidores.

Quem utiliza é totalmente responsável pelas possibilidades de configuração e segurança.  Se o servidor físico falhar, todos os VPS que fazem parte dele falharão. A performance do CPU pode ser afetada se outro VPS estiver com alta exigência.  O VPS Não é escalável, ou seja, o armazenamento fica restrito ao limite físico do servidor. Se você atingir a capacidade máxima, terá que procurar novas opções, o que pode levar horas ou dias de migração.

O VPS pode ser ótimo para sites ou aplicações que ainda estão começando — ou ainda não lidam com uma audiência tão grande — e que dificilmente sofrerão com grandes picos de acesso. Isso porque essa opção tende a ser um pouco mais barata. Apesar de oferecer vários benefícios de um servidor dedicado, o VPS não é tão custoso quanto uma hospedagem desse tipo costuma ser.

Cloud Server

Visando a realidade atual das aplicações que, além de conteúdo dinâmico, ainda requerem processamento, memória e velocidade, é que foi criada a tecnologia cloud. Nela, os sites são hospedados através de uma série de servidores conectados.

Dessa forma, negócios que buscam mais estabilidade, segurança e melhor  performance, migram suas aplicações para Cloud Server (ou servidores na nuvem, em português), para terem mais desempenho e melhor custo-benefício e, assim, prosperarem seus negócios.

Como o nome já diz, o Cloud Server utiliza uma hospedagem na nuvem, o que significa que você não contará com uma máquina física. Nessa estrutura na nuvem, diversas máquinas físicas somam os recursos, fazendo com que uma máquina assuma a carga da outra caso haja necessidade.

Enquanto muitos se assustam com a possibilidade de dados importantes caírem na rede ou sofrerem invasões de pessoas mal intencionadas, o ambiente da nuvem tem muitas camadas de proteção feitas especialmente para impedir que isso ocorra, sem contar os backups automáticos de informações. E também, é muito mais difícil um site hospedado na nuvem sair do ar.

Você conta com um servidor robusto totalmente preparado para sanar as suas necessidades sem compartilhar nenhum recurso. O seu site terá todas as condições de suportar picos de acessos, sem dores de cabeça geradas por desligamentos repentinos ou escassez de recursos.

Mas nem tudo são flores, a utilização deste recurso exige muitos conhecimento técnico para configuração e manutenção de Cloud Server. Por isso se precisar criar e hospedar seu site conte sempre com a GSP Sites para isso.

Compartilhe esse post com seus amigos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe um Comentário