Conselho do Google para Sobreviver a Mudanças de Algoritmo

Google
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Sumário

Caso você tenha deixado passar, o Google acabou de publicar conselhos para profissionais de SEO sobre como se sair bem nas mudanças de algoritmo deles.

O que a maioria das pessoas não sabe é que o Google não produz meia dúzia de mudanças de algoritmo por ano.

Eles produzem muito mais.

Só para te dar uma ideia da frequência com a qual o Google muda, eles tivera 3.200 mudanças de algoritmo em apenas 1 ano.

Você leu certo, 3.200 mudanças.

É muita coisa!

Então em vez de focar em uma atualização de algoritmo sobre a qual você tenha lido, você precisa focar em tornar seu site compatível com o objetivo fundamental do Google.

Primeiro, eu vou falar sobre o conselho que eles estão falando para a gente seguir… E depois eu vou destrinchar o que ele realmente significa.

O conselho do Google para profissionais de SEO

Como na maioria dos seus anúncios, o Google tende a ser vago. Mas, claro, eles disseram que deve-se, sim, focar em conteúdo.

E o mais interessante foi que eles deram uma lista de perguntas que você deve fazer em relação ao seu conteúdo novo e ao já existente.

Mas, como eu disse, elas são vagas… Então eu decidi fazer uma coisa um pouco original. Ao lado de cada pergunta oferecida pelo Google (em preto), você vai ver minhas ideias sobre o que eu acho que o Google está tentando te dizer (em laranja).

Aqui vai:

Perguntas sobre conteúdo e qualidade

  • O conteúdo oferece informações, relatos, pesquisas ou análises originais? – Embora o Google não penalize por conteúdo duplicado, eles estão atrás de conteúdo novo e fresco. Com mais de um bilhão de blogs na Internet, existe muito conteúdo repetidos por aí atualmente.
  • O conteúdo oferece uma descrição substancial, completa ou detalhada do assunto? – Quando um usuário faz uma busca, o Google quer dar a ele o que ele está buscando com o menor trabalho possível. Eles não querem fazer o usuário entrar em vários sites para obter uma resposta. Páginas precisas e que respondam todas a busca do usuário integralmente têm mais chance de ranquear. Ou seja, se você escrever conteúdo raso, provavelmente não vai ser satisfatório para o usuário, o que significa que você talvez não ranqueie tão alto quanto gostaria. 
  • O conteúdo oferece uma análise ou informações instigantes e pouco óbvias? – Seu conteúdo tem mais a oferecer do que fazem seus concorrentes? Vá um passo além oferecendo análises adicionas ou chegando às suas próprias conclusões usando dados adicionais que podem ser úteis para o leitor.
  • Se o conteúdo se baseia em outras fontes, ele evita simplesmente copiar ou reescrever essas fontes, fornecendo valor extra e originalidade? – Não saia copiando e colando o conteúdo de alguém e depois deixe um link para essa pessoa para gerar algumas linhas de comentário. Se você vai fazer referência ao conteúdo de outra pessoa, garanta que as conclusões são suas e que a maior parte do texto na página é original e útil. 
  • O título oferece um resumo descritivo e útil do conteúdo? – 8 em cada 10 pessoas leem um título e só 2 em cada 10 pessoas clicam para ler o resto. Seus títulos não só precisam ser atraentes, mas também devem resumir o conteúdo. Não foque apenas em palavras-chaves ou clickbait, foque na experiência do usuário com seus títulos.
  • O título evita ser exagerado ou chocante? – O Google sabe se você está usando clickbait, porque isso costuma gerar uma taxa alta de abandono. Se eles veem que as pessoas voltam para os resultados das SERP, significa que o seu conteúdo não estava à altura e você usou clickbait para enganar os usuários. 
  • Esse é o tipo de página que você salvaria nos favoritos, compartilharia com um amigo ou recomendaria? – Como disse uma vez Eric Schmidt, ex-CEO do Google, marcas são a solução. O Google prefere ranquear marcas, então não priorize SEO. Foque primeiro no seu usuário. Faça-o gostar do seu conteúdo, seu produto e seu serviço.
  • Você esperaria ver esse conteúdo publicado ou referenciado em uma revista impressa, enciclopédia ou livro? – Se você acha que seu conteúdo é tão bom que você estaria disposto a imprimi-lo e pendurá-lo na sua parede, você fez um ótimo trabalho. Se você está só criando conteúdo por criar, as pessoas vão sacar. 

Perguntas sobre expertise

  • O conteúdo fornece informações de maneira que te faça confiar nelas, como por exemplo, fontes confiáveis, provas da expertise envolvida, histórico do autor ou do site que está publicando, como links para uma página do autor ou uma página Sobre de um site? – A melhor maneira de se posicionar como especialista é usar dados e citar suas fontes. Além disso, se você vai ser um especialista, não deixe de colocar seu nome na página e um link para a sua bio.
  • Se você pesquisou o site ao produzir o conteúdo, você sairia com a impressão de que ele é confiável ou reconhecido como uma autoridade no assunto? – Comparado à concorrência, como você é visto? Se você é mais respeitado e mais popular, isso mostra que você é potencialmente um especialista. Você deve trabalhar nas suas consultas de marca, o que vai te ajudar a ganhar mais visibilidade.
  • O conteúdo é escrito por um especialista ou entusiasta que demonstra domínio sobre o assunto? – Você está enganando ou você é de fato um especialista no assunto? Claro, eu posso pesquisar a legislação e escrever um conteúdo sobre ela, mas eu não sou advogado e isso ficaria óbvio. Escreva sobre o que você sabe, e, se você não sabe, vá aprender bem antes de escrever sobre. 
  • O conteúdo está livre de erros factuais facilmente verificáveis? – Criar fake news vai te prejudicar. Não espalhe informação falsa na internet. Se você escrever alguns textos com informações falsas e o Google identificar, isso pode prejudicar seu site inteiro.
  • Você ficaria confortável em confiar nesse conteúdo para questões relativas ao seu dinheiro ou à sua vida? – Se alguém fizer uma busca no Google e chegar no se site, o que vai acontecer se essa pessoa ler seu conteúdo? Se ela seguir para outro site e continuar pesquisando, significa que ela não confia o suficiente no seu site. Não só é importante para você criar conteúdo de qualidade, mas você também precisa mostrar ao leitor por que você é uma fonte de credibilidade e por que ele deve prestar atenção e você em vez de outra pessoa no espaço. 

Perguntas de apresentação e produção

  • O conteúdo está sem erros de ortografia ou estilo? – Procure eventuais erros de gramática e ortografia no seu conteúdo. Depois de fazer isso, confira se o seu conteúdo é de fácil leitura. Por exemplo, ter uma fonte neon em um fundo branco é claro que dificulta a leitura.
  • O conteúdo foi bem produzido ou aparenta desleixo? – Gaste tempo conferindo se o conteúdo que você está publicando é bem feito. Desde gráficos e vídeos personalizados até imagens e podcasts, tenha certeza de que a experiência geral é boa. Escrever conteúdo de qualidade não basta, uma vez que todo mundo está fazendo isso atualmente. 
  • O conteúdo é produzido em massa ou terceirizado para um número grande de criadores, ou espalhado por uma rede grande de sites, de forma que sites ou páginas individuais não obtenham a atenção ou cuidado necessários? – O Google quer que as páginas, de forma individual, respondam integralmente às perguntas dos usuários. Se alguém procura uma resposta e você linka para vários outros sites para explicar sua resposta, você não está criando a melhor experiência. Foque em criar uma experiência incrível, não só a nível do site, mas também a nível de página individual. 
  • O conteúdo tem uma quantidade excessiva de anúncios que distraem do conteúdo principal ou interferem nele? – Seu site precisa carregar rápido. Anúncios diminuem a velocidade dos sites e podem acabar com a experiência do usuário. Monetizar não deve ser o foco principal do seu site. Ele deve ser informar e ajudar os visitantes.
  • O conteúdo é bem exibido em dispositivos móveis? – Aproximadamente 60% das buscas no Google são feitas em dispositivos móveis. Seu conteúdo precisa ser otimizado para celular e tablet.

Perguntas comparativas

  • O conteúdo oferece valor substancial quando comparado a outras páginas nos resultados de busca? – Se você está tentando ranquear para uma palavra-chave, olhe para as 10 principais páginas que compõem a página 1 atualmente e tenha certeza de que seu conteúdo é melhor e mais preciso do que aquele que ranqueia atualmente. Se você não criar algo de qualidade superior, não tem por que o Google colocar seu site acima dos concorrentes.
  • O conteúdo parece estar atendendo aos interesses genuínos dos visitantes ou parece existir simplesmente por alguém tentando ver o que ranqueia bem nos mecanismos de busca? – Não escreva conteúdo para mecanismos de busca. Escreva para seres humanos primeiro, uma vez que o objetivo do Google é satisfazer pessoas. Mesmo que no curto prazo isso signifique que você não vai ranquear tão alto. Vai chegar um momento em que o Google vai perceber isso e seu conteúdo vai ranquear mais alto com o tempo, desde que você esteja focando no usuário final. 

Conclusão

Tem mais algumas coisas que o Google mencionou, como suas diretrizes de qualidade, mas tem uma coisa realmente importante que foi mencionada:

Também é importante entender que mecanismos de busca como o Google não entendem o conteúdo da forma que os seres humanos entendem. O que ocorre é que buscamos sinais que podemos perceber sobre o conteúdo e entender como eles se relacionam à forma como os seres humanos avaliam a relevância.

O Google quer agradar você, não a sua versão que é um profissional de marketing ou um empreendedor, mas a sua versão que usa o Google diariamente.

Quando você faz uma busca no Google você fica feliz com os resultados?

Se não ficar, você não vai dizer para o Google com as suas palavras, porque não existe um jeito fácil de fazer isso. É por isso que eles veem os sinais, como taxas de cliques ou quantas pessoas clicam o botão voltar, para voltar ao Google e clicar no próximo resultado.

Em vez de focar em SEO, o verdadeiro truque para deslanchar é focar no usuário.

Vá além e faça o que for melhor para eles, mesmo se você achar que vai prejudicar seus rankings no curto prazo. Porque, no longo prazo, o Google vai entender e você vai ranquear melhor se de fato estiver colocando o usuário em primeiro lugar e se saindo melhor do que seus concorrentes.

E aí, o que você achou dos conselhos do Google para profissionais de SEO?

Compartilhe esse post com seus amigos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Deixe um Comentário